enfrente-se!

Lute, acima de tudo, por quem você é. Não deixe a normatividade do mundo quebrar a bússola que te guia pelo seu caminho interior. Lute por quem é e por quem você ser num mundo que, constantemente, vilipendia os sonhos que você carrega e a bondade que você semeia. Sonhe e lute. Lute com a força de um bárbaro e com a doçura do sábio – busque o equilíbrio nas forças que os deuses te presentearam. Lute. Dê o primeiro passo e o segundo e o terceiro… E nunca se esqueça de se levantar sempre que estiver ao chão – pois, em algum momento é lá que você estará; mas, ainda assim, mantenha a cabeça erguida e fique atento, afinal, você é um guerreiro que está preso nesse campo de batalha interior, lutando contra forças exteriores e é impossível fugir dessa luta. Lute, acima de tudo, por quem você é e, no fim, se orgulhe disso.

Anúncios

Querido Martim,

Passei a noite em claro e, em meio a todas as dúvidas e angústias que pairam sobre nós, senti falta da doçura de suas palavras – que tanto me acalmam e inspiram. Por isso, na falta da tua voz, te escrevi.

Confesso que venho tentando, com veemência, estancar todas essas angústias, afinal, você me disse que, se for impossível a mudança, devemos aceitar as coisas como são, pois, torna o processo menos doloroso, e, de fato, o é. Mas, Martim, sempre que te vejo, é impossível que a minha racionalidade controle a legião de sentimentos furiosos que me dominam; e já tentei, por vezes, fazê-lo. Juro! Mas…

Pensei sobre isso, sobre essa minha fraqueza, e conclui que – assim como dizem que uma mente que se expande, jamais volta para o mesmo lugar – nossos olhos, depois de contemplarem a perfeição do corpo de quem se ama, nunca mais o vê da mesma forma. O que faz com que seja impossível, pra mim, não te desejar.

Não pense que estou sendo libertina ou algo do tipo… Longe de mim! Mas, é que meus olhos não te veem mais com a pureza de antes, nem o meu corpo responde da mesma forma ao teu toque.

Sei que não é culpa minha. A culpa vem de Adão, de Eva, da serpente e da maldita maçã – fonte de todo o pecado.
Um pecado que, por você, cometo sem medo do inferno que me aguarda.
Sofrerei, no espírito, o que sofro na carne quando estou longe de ti; poderia até ser uma mártir por sofrer de amor.

Seria isso uma blasfêmia?

Pouco me importo, Martim! Só quero que você acabe com esse inferno humano que estou vivendo.

Volte logo para os meus braços famintos, Martim.

Eu amo você!

Ansiosamente,
Elsa.

Voto de silêncio

Há quatro dias
eu optei pelo silêncio,
mesmo sabendo que é impossível silenciar a voz que grita dentro de mim.
Eu optei pelo silêncio,
mesmo com o meu corpo bebendo
constantemente
da fonte do desejo – que sinto por você.
Eu optei pelo silêncio,
mesmo sendo doloroso, em mim, não ouvir as tuas canções
a cada vez que os ponteiros do relógio decapitam o tempo
[inumano]
Eu optei pelo silêncio
da boca pra fora
Por dentro, não arrependo
quando vejo, através do espelho,
o sopro do teu coração
congelar todo o resto do teu corpo.

Antigo testamento

Deus me ama, eu sei.

Mas, não sei se o Seu amor é suficiente para tolerar a minha incapacidade
de compreender o que dizem suas linhas
tortas.

Deus me ama e eu O sirvo,
mas, confesso, com o rubor do pecador,
que nunca entendo suas mensagens e me sinto
uma filha desgarrada e incompreendida
pelos pais.

Frustrada.

Eu sei que Deus me ama
e sei que Ele aceita as falhas que carrego
[e que, constantemente, aprofundo]
mas, não sei se o Seu amor é suficiente para entender
que eu nunca consigo entender os sinais
de fumaça ou de luz.

Nunca capto a mensagem e peço perdão.

Deus é divino e perdoa.

Afinal, que sou eu além de barro com vida?

Coloque aqui o nome de uma deusa

Toda mulher tem a capacidade de parir.
Toda mulher pare.
Todo parto dói.

Nem sempre o parto parte a carne.
Nem sempre há a dor física que marca a pele com mil novas estradas.
Muitas vezes, as contrações acontecem (apenas) no espírito
e depois de muito
inspirar
expirar
damos à luz

Toda mulher pare
e nem sempre a gestação acontece
na barriga
ou dura nove meses.

Às vezes, dura mais; às vezes, dura menos,
mas, sempre vem com dor
e sempre transforma.

Durante a gestação, pensamos ser impossível suportar o peso,
mas, se mantenha firme!
A deusa em nós nos sustenta
em cada parir
e sorri quando colocamos para fora
o nosso grito de dor
porque é aí que estamos recepcionando a mudança
que sai de nós.

Gatilho

Me perdi na floresta da vida
e encontrei a bússola que precisava
quando meus olhos cruzaram com os teus.

Em meio as pedras que eu vivia,
tudo floresceu
com o clique da tua língua
que nada me diz.

E, entre as flores, eu me mantenho em silêncio.

Me falaram que há uma loucura nisso
[de se apaixonar pelo desconhecido]

Eu pensei em dar ouvidos
mas, daí me perguntei:
que é a vida se não um grande hospício?

E, na floresta, só ecoou a resposta do silêncio.

Aurora

Entre o nascer e o morrer, há a vida.

A vida que corre incansável
como um rio
e nos faz mergulhar em suas águas para sermos
ou deixarmos de ser.

A vida que, muitas vezes, age como algoz
nos deixando com marcas visíveis (ou não)
e deixando nossa alma com um vazio impossível de ser preenchido.

A vida que também se faz deusa
e nos faz viver outras vidas
na esperança de (re)conhecer
dentro de um olhar
um novo motivo pra alvorecer.