(risos)

Estava escuro.
Escuro.
E minha barriga tremia,
pareciam rasgar meu estômago.
Rasgavam.
Engendravam a maldade em mim,
a frieza;
moldavam um riso diferente em meu rosto.
Sorri.
Gargalhei.
Descabelada,
gritei com as sombras,
esmurrei as paredes,
acho que matei alguém
(dentro ou fora de mim).
Acho que matei alguém.
Morri.
Matei.
O silêncio se apoderou de minha morada,
e no dia seguinte,
acordei
em frente à janela do hospício.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s