alice

Estar com você é como olhar um espelho: vejo tudo de mim.09bfc8c68c8110d6676e94a14b7990c3
O ruim e o bom.
Você, como reflexo de mim, me ensinou a ver só as coisas boas
[virou caolho só pra me proteger dos meus defeitos]

Perdida no país dos espelhos,
vi que o meu reflexo
era mais do que a sombra caolha de minha alma,
é um Outro
que me ensinou a gostar de ser quem sou

e, mais ainda, me ensinou a amar esse reflexo
que tem tantos defeitos quanto eu.

filosofias (?) numa tarde de outubro .

A minha cabeça roda entre pensamentos insanos.

A loucura por trás da arte. A loucura por trás do amor. A loucura por trás da vida.

E quem sou eu para controlar esse órgão que parece funcionar sem manter nenhum vínculo com qualquer outra parte do meu corpo?

E quem era eu antes de você?

E o que devo fazer para parar de pensar em você?

Nada me ajuda a responder.

Penso nas cores de Van Gogh, ou textos de Virginia Wolf, puxo um diálogo com a poesia de Álvares, mas em nada tudo isso me ajuda.

Finalmente, suspiro ao meu coração e pergunto se ele sabe de alguma coisa – qualquer coisa! – que me faça uma lavagem cerebral e me torne alguém sensata.

Ele, meio socratiano, responde: “eu só sei que nada sei.”.

“Ora essa…!”, tomo ar… Tome jeito, caro coração! Você deve aprender que é injusto se apaixonar e não conseguir encontrar o caminho da libertação para me ensinar a esquecer aquele que um dia foi meu amor, aquele que um dia foi meu, aquele que um dia se foi e esqueceu de levar consigo qualquer coisa que, hoje, me faz mergulhar nesse mar de solidão.